We All Like to Fuck the World

This is how it works.

Esses dias, parei pra pensar em tudo. Não que haja motivo especial pra isso, mas simplesmente, me encontrava num momento de reflexão comigo mesmo. A primeira coisa que me veio em mente foi: Será que eu realmente fui feliz, até agora? Mas, infelizmente, não consegui uma resposta definitiva pra essa pergunta. Talvez, porque no momento, não estava muito confortável com tudo o que estava acontecendo, e do jeito que estava acontecendo. Talvez, porque eu gostaria que as coisas fossem diferentes, que eu pudesse estar vivendo de uma outra maneira, que eu pudesse ser uma outra pessoa, uma pessoa melhor, mais sensata, mais adaptável. Talvez porque eu queria que aquela pessoa, que agora está longe, estivesse perto novamente, me trazendo aquela sensação de conforto única que agora só é uma parte de minhas lembranças. Ou talvez, simplesmente porque eu desejava poder mudar as coisas, ou ao menos corrigi-las. Mas eu sei que nada disso é real, sei que não adianta querer, sei que não adianta tentar, porque nada vai mudar, e não importa o quanto eu queira e nem o quanto eu tente, nada vai ser exatamente do jeito que eu gostaria que fosse, apesar de que a vontade não falta de forma alguma. A vida não é uma fita cassete, que quando você assiste e quer ver de novo, simplesmente rebobina e tudo volta ao seu devido lugar. Acreditar que “tudo o que vai, volta” , é simplesmente ingenuidade. As experiências que você já viveu, não vai viver mais. Parece óbvio dizer, mas a gente só toma consciência da proporção disso, quando sentimos falta, ou saudade. E aliás, esse é um dos sentimentos que acabam com a gente. Eu sinto sua falta, sinto mesmo, e agora só penso em como tudo podia ser diferente. Eu sei que eu errei, que nós dois erramos, sei o que eu podia ter feito e que não fiz. Mas eu não queria que nada fosse assim. Não é culpa sua, e nem minha, simplesmente aconteceu o que tinha que acontecer. Apesar de eu não acreditar em destino, e achar meio idiota, a única coisa que eu posso fazer agora, é deixar que seja o que tem que ser. Eu sempre vou pensar nisso, sempre vou pensar no que podia ter sido e que não foi, porque não me sinto bem agora. Não me sinto bem longe de você, não me sinto bem sem aquele seu beijo, sem aquele abraço que não sai e talvez nunca sairá da minha cabeça. E não somente isso, mas todos os gestos, sejam eles pequenos ou não, que você já fez por mim. Eu acho você muito pra mim, eu admito que não sou o cara perfeito pra você. Mas bem que eu queria ser. Queria poder estar com você, mas não posso. As coisas mudaram muito, e eu não sei se acredito mais nisso, não sei mais se posso. Eu queria acreditar. Você é uma pessoa única, que me fez sentir bem, quando já pensei que ninguém poderia fazer. Você já me fez feliz, de um jeito que ninguém fez e que talvez nunca ninguém fará. E eu só posso lamentar as coisas que aconteceram entre a gente. Eu podia ter feito diferente, podia ter sido diferente. Mas não fiz, e não fui. E por isso eu sinto muito. Não posso expressar quão é grande minha vontade de estar contigo, de poder olhar mais uma vez, bem fundo em seus olhos, poder ouvir mais uma vez sua voz, que não sai da minha cabeça. Mas as coisas já estão fora do meu controle. Não acredito mais nada, não tenho mais esperança nenhuma. Eu tentei, tentei fazer tudo o que era possível, mas não consigo mais pensar em nada, não consigo pensar em nenhuma saída, não consigo chegar em nenhuma conclusão. Então, tudo o que eu posso fazer, é deixar com que a vida decida o que será de nós dois. E eu realmente espero, que um dia, as coisas mudem. Eu realmente espero que você seja feliz, e que tudo dê certo pra você, e que você possa encontrar a pessoa ideal pra você. E principalmente, queria te pedir desculpas, por ter te decepcionado, e por ter deixado as coisas tomarem essa proporção. Eu sinto muito, muito mesmo, e espero que um dia você possa me entender.